domingo, 6 de março de 2011

Tum-tum


















O Carnaval estava lá fora, aquecendo toda a sua cidade; mas ela não podia. Ela que sempre adorara todo tipo de festa, todo tipo de alegria; estava ali arrasada, sentada numa cadeira fria, chorando o quanto podia. Bianca não era lá essa moça magra, mas tinha cabelos escorridos e aquela orgulho de ser quem era. E a moça carregava uma felicidade tão grande que em cada sorriso que dava, podia iluminar uma rua inteira. 23 anos, psicóloga talvez para se compreender um pouco mais e eternamente solteira. Bianca gastava seus dias preocupando-se com os problemas das pessoas e fazendo de tudo para receitar boas risadas a quem fosse ou não seu paciente. Naquela noite não, ela precisava justamente disso. De que alguém aparecesse por ali, e além da companhia, lhe trouxesse algumas gargalhadas. Mas não, ligou para sua família, ligou para seus quatro melhores amigos; celulares chamavam e ninguém atendia, ocupados ou desligados. Sozinha, com todos aqueles eletrodos e aquele infernal "pi", "pi", "pi", periódico. Passou mal enquanto dirigia, fez um retorno e foi para o hospital em vez de ir para casa de sua tia. O peito doía, doía muito. Com pressão elevada e arritmia, findou por fazer uma séria de exames, inclusive uma ultrassonografia. Seu coração estava doente. A médica disse que aquela bolinha na parede do átrio esquerdo estava na iminência de tirar sua vida, então Bianca se internou e tratou de ir imediatamente para a quimioterapia. Câncer, 23 anos e um câncer; uma sorte maldita. E avançado, realmente avançado, esperava o exame de sangue para saber se já tinha também leucemia; mais azar ainda, que puta sorte. Careca, naquele triste quarto, ninguém te atendia. Por que ninguém te retornava? Por que ninguém te atendia? Pensava ter sido boa e justa toda sua vida, incentivando pessoas, consolando pessoas e aliviando tantas outras. Ela não entendia o que tinha feito para tamanha desgraça. Mas sabemos que a vida não é lá uma justiça nata. Bianca sentou-se na cama, levou as mãos ao coração e chorou toda a sua agonia. Eis a recompensa de toda a bondade em seu peito, um câncer e um estado terminal; um oncologista entrou no quarto com seu exame de sangue. Estava confirmada, a doença do coração circulava nas veias, e não se sabe porque os sintomas não surgiram antes. Era um daqueles tristes casos em que a morte já está agendada e ninguém se lembra de ter consultado o calendário.

Ring-ring.
- Alô Bianca? Onde está você? De hoje que a gente te espera aqui na casa de sua Tia Vânia!
- Tô no hospital, mãe. Não me senti muito bem quando tava indo praí.
- Mas é alguma coisa séria, minha filha?
- Não, mãe. Tô no quarto 708, vem me visitar?
- Você está internada?! Então como que não é sério!? O que você tem, minha filha? -
- Câncer. - Respondeu, em um suspiro de otimismo.

E então desligou. Porque não aguentaria dizer mais nada, ou muito menos escutar sua mãe. E o final todos já sabemos. Durante os dias que se seguiram, Bianca sentiu todo o amor que espalhou entre as pessoas e até encontrou aquelas gargalhadas, ela merecia. Terminou seus dias sabendo que fizera felizes as pessoas ao seu redor, e por isso não, não fraquejaria, ao menos, nunca mais. 


Mas na cabeça, uma única pergunta:
"Por que a vida é tão assim, tão sem lógica?"
E sinceramente, ninguém sabe a resposta.

6 comentários:

vinícius reis disse...

não posso deixar de pensar que momentos difíceis fazem as pessoas evocar coisas que até então nunca julgaríamos pertinente. como se lutássemos contra um remorso já programado pro futuro.
bom trabalho, cris

Jéssica Trabuco disse...

As vezes eu me pergunto a mesma coisa.
Tenho certeza que todos os sorrisos que foram criados por ela, a fizeram mais feliz... mesmo no final.

★★ GIZA ★★ disse...

OLÁ.
ADOREI SEU BLOG E ESTOU SEGUINDO.
ME SEGUE DE VOLTA?
WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
BEIJOS

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos periodos mais marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso?
Visita meu blog?

http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Se gostar do meu blog, segue lá ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana;
Beijos.

Tainã Almeida disse...

Gostei do blog, o texto é muito bom. Tive uma ótima leitura.
beijos

Letícia R. disse...

Concordo com o que o Vinícius disse.
ótimo texto, gostei =D