sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A história de porque o mundo não acabou



Numa tribo Maia, há muito, muito tempo

Os Maias eram um povo civilizado, todo divido em castas, cada um com sua função. Tinham sua própria cultura, que é mais do interesse de um historiador do que de um contador de histórias e faziam festas, rituais e todas essas coisas.
Sumadartson era um jovem maia, já havia passado pelo ritual de passagem para a vida adulta, nos seus 12 anos de idade – ritual este que consistiam em passar uma semana nu na Grande Floresta Selvagem, voltar com a carcaça de um feroz animal abatido com as próprias mãos e após um duelo sanguinário com outro habitante super popular, musculoso e cheio de charme, deveria ter sua primeira noite com uma mulher – o lance da cultura.
Mas voltemos a nosso personagem. Toda essa passagem dele foi, na verdade, muito peculiar. Eis o que realmente aconteceu.

Sumadartson era extremamente tímido, mas arrancou suas poucas vestes na frente de toda a tribo e se enfurnou na mata fechada. Assim que ninguém mais estava olhando, ele logo tratou de se cobrir. Suspirou desanimado diante da semana que viria pela frente.
Ele era um jovem talentoso na arte de esculpir, assim passou seus primeiros dias em uma colina, trabalhando em rochas, desenhando e criando um sistema de contagem do tempo. Assim surgiu o calendário maia. Com sua agilidade ele construiu impressionantes peças que durariam anos, séculos, milênios até. Ele fez a contagem do tempo para milhares de anos à frente de seu tempo.
Certa noite um tigre faminto começou a rondar a área escolhida pelo jovem para passar a noite. O garoto logo criou um jeito de se proteger e assim quando foi atacado pela fera, usou uma de suas peças para se defender, derrubando um calendário de rocha sobre o animal.
Ao passo em que a semana estava quase se completando, ele arrastou o corpo do tigre para a orla da floresta, arrancou as folhagens que cobria o corpo e retornou à tribo.
Foi saudado com muita emoção, alimentado adequadamente e preparado para a luta contra outro jovem, mais velho e mais forte.
A batalha que se seguiu não foi um grande espetáculo, ao ter sua mão quebrada por um ataque, ele derrubou seu adversário ao usar uma pedra que refletiu a luz solar em seus olhos e assim o atacou, batendo em sua cabeça com a pedra até desacordá-lo. Coisa barra pesada, mas os maias eram assim.
À noite foi colocado em uma caverna com uma garota, ambos deveriam desvirginar um ao outro e bem, essa parte correu tudo bem.

Saiu da caverna como um adulto e agora podendo ser ouvido por todos, ele contou o que tinha criado na floresta. Os mais velhos ficaram impressionados com o trabalho, que foi transferido para o centro da tribo.
Infelizmente seu calendário ia até o ano de 2012, pois o que se seguia foi destruído quando matou o tigre e por ter a mão quebrada não conseguiu voltar a produzir mais, o que era uma pena, pois ele queria muito continuar a contagem.
Uma vez, na floresta, ele tivera um sonho com a data dos fins dos tempos, mas não pode esculpir quando seria. E jamais contou esse sonho para outra pessoa.

Sumadartson viveu por muitos anos e morreu frustrado por não ter revelado o que sabia.

Nada como uma sátira para fazer a gente entender como as coisas aconteceram.

Nenhum comentário: