domingo, 2 de janeiro de 2011

A lista


Peguei a caneta e comecei a anotar tudo aquilo que eu pretendo fazer de agora em diante:
- Fazer academia.
- Respeitar a nova dieta.
- Emagrecer.
- Deixar de...
“Espere um pouco”, minha própria voz soa em minha cabeça, “Quer dizer que o que importa é só somente sua aparência?”
Eu nunca tinha, realmente, parado para pensar nisso, mas eu sempre fui obcecado por me enquadrar nos padrões pré-estabelecidos pela sociedade. Eu nunca estive satisfeito com o meu corpo, estou muito acima do peso e com isso minha auto-estima fica lá embaixo.
O espelho sempre me mostra a verdade que eu quero esquecer, ele joga na minha cara que eu sou um gordo descontrolado e guloso.
Eu já sofri tanto com apelidos na minha infância e adolescência, fui deixado de lado, não notado pelas garotas que sempre preferiam o bonitão sarado. São tantas as lembranças que eu quero apagar, mas elas me perseguem como se eu fosse uma presa indefesa e talvez eu seja mesmo.
Não pertencer ao grupo seleto de beleza imposto pelo mundo é capaz de deixar uma pessoa desorientada. Eu leio sobre garotas que se entregam à bulimia e se perdem na anorexia e penso “como elas podem fazer isso?”, sendo que eu estou fazendo a mesma coisa. Estou deixando minha vida de lado e apenas me preocupando com o que os outros pensam.
Se eu sobrevivi até aqui, se fui forte o bastante para ter aguentado todo tipo de infâmia, por que eu ainda me foco apenas no exterior? Acho que estou recuperando um pouco do bom senso que perdi no decorrer de meus surtos de baixa auto-estima.
Dei uma boa olhada para trás e enxerguei aquela criança gordinha que, apesar de tudo, sempre esteve rodeada de amigos dispostos a defendê-la e pais amorosos que sempre fizeram de tudo para deixá-la feliz. Depois avancei nas memórias e vi um jovem obeso sorrindo ao receber o boletim com as melhores notas da sala e comemorando com grandes amigos que compartilhavam daquele sucesso todo.
Pouco depois assisti o declínio de toda essa grandeza ao ver que o adulto em que me transformei fora corrompido pelo o que os estereótipos ditavam. Rendi-me a depressão, perdi o emprego e pouco a pouco minha vida foi afundando no vazio do meu quarto escuro.
Senti meu rosto queimar ao dar uma segunda olhada para essa lista fútil que escrevi, acabo de me sentir envergonhado de mim mesmo, não pelo meu peso, mas pela minha cabeça fraca.
Amassei o papel e joguei para longe. Apanhei outra folha em branco e comecei outra lista:
- Ser feliz do jeito que sou.
E apenas esse item é o que vai me guiar pelo resto do caminho. Vou começar tudo de onde parei, resolver os assuntos inacabados e ficar de bem comigo mesmo.
Não importa o que as pessoas pensem, esperem ou queiram de mim, vou me colocar em primeiro lugar e quando o espelho vier com o típico “quando vai começar aquele regime?” eu irei sorrir para ele e responder “quando eu achar que é realmente necessário”
As pessoas não vivem só de aparência e enquanto muitos ainda estiverem perdidos como eu, as coisas continuarão difíceis. Ainda bem que existia um lado são dentro de mim que me trouxe de volta à realidade.
A realidade de que para ser feliz eu preciso me aceitar como sou e assim os outros também irão.

2011 chegou, espero que todos tenham tido uma grande noite de virada e que esse ano possa ser melhor que o anterior e que possamos continuar caminhando juntos.

7 comentários:

Luana disse...

Sorri levemente quando voce disse que fez uma lista. Na minha família, temos esse costume. Todo ano novo, nos sentamos e escrevemos as metas para o ano seguinte, depois de ler as do ano anterior e nos surpreender com o que escrevemos no ano passado e ver o quanto nos conseguimos alcançar.

Na minha lista nova, estão "fazer academia", "manter uma alimentaçao saudável".
Mas tem também "viajar mais", "aprender Alemao", entre outros desejos que nao envolvem aparencia.

Acho muito legal voce mesmo ter tido essa visão a respeito de como voce se 'rendeu' a essas imposiçoes, mas acho saudável se preocupar com isso, na medida do possivel.

Com certeza, isso nao é o mais importante e, se voce pensar bem, quase NINGUÉM está satisfeito com o corpo!

Muito bom o texto. Me fez refletir sobre mim mesma.

Feliz ano novo :)

BlackRabbit disse...

quando vc fala: "jovem obeso com as melhores notas"...

não é questão só de estética perder peso...
mas se o cara é obeso, é tbm questão de saúde...
evita problemas cardíacos e mais um monte de coisa...
=p
mas, cada qual com seus problemas né???
xD

Flor de Lótus disse...

Oi,Rodolpho!Td bem?Nossa quase chorei lendo esse texto, pude me ler em cada linha,em cada palavra, sim uma das minhas resoluções de ano novo ainda é emagrecer,mas quero fazer isso por mim não pela sociedade, não pelos padrões,mas por mim pela minha saúde e porque não quero mais sentir vergonha do meu corpo.Mas com certeza o primeiro passo e amar-se do jeito que se é e assim então aceitar-se e partir para as mudanças.
Beijos
Feliz 2011!

Natália disse...

Antigamente eu fazia listas na ilusão de que cumpriria tudo que estava escrito naquela folha, mas fui crescendo e vi que temos que deixar as coisas acontecerem, não podemos e nem devemos escrever o que temos ou vamos fazer. Beijo

Lariissa disse...

sempre fiz listas prometendo cumprir o que escrevia, mas sempre me atrapalhava, porém algumas coisas saiam pela culatra. Continuo fazendo listas, mas cumpri-las...

Emi disse...

Gostei bastante da reflexão do conto. Acho que veio num ótimo momento, quando as pessoas criam suas listas e muitas vezes esquecem do que, de fato, necessita ser mudado.
Beijos, Rodolpho!
Um maravilhoso ano novo pra você, grande blogueiro e escritor! Sou sua fã!

Insana disse...

Que venha 2011, pois
Será o ano do Sol a iluminar. Grandes e Pequenos Passos.
Será ano Impar unilateral
Será o ano do Coelho multiplicador

Plante a semente da vontade
Regue com o dose desejo
E terá bons frutos para colher..

Um feliz 2011 da Insana

OBS desculpe a ausência nas festas..