quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O guitarrista das 5 horas


Tudo o que ele mais queria era ser um garoto que está living a dream.

Entrou no ônibus carregando apenas uma mala leve com poucas roupas e uma guitarra pendurada nas costas que ele queria mostrar ao mundo enquanto dedilhava os acordes metálicos do rock. Sentou-se na última poltrona, abriu a janela, colocou os fones no ouvido e deixou a música levá-lo, enquanto o motorista ligava a ignição.
Os Beatles o fazia esquecer de seu Yesterday e ele se via em palcos altivos e luminosos, espalhando através das potentes caixas de som toda a sua Satisfaction e fazendo a multidão vibrar e cantar, como se soprada pelo seu poderoso Hurricane.
Strange days eram aqueles do passado em que ele ainda não havia conhecido o poder da música, dias em que tudo parecia vazio. A música lhe deu um motivo para viver, um razão para continuar... I believe in miracles começou a tocar em seus ouvidos e ele percebeu que sim, que realmente acreditava em milagres.
Não importava se a música o conduzisse para uma Highway to hell ou que se por causa dela ele chegasse Knockin' on heavens door.
Seu mundo estava de ponta cabeça, ele era o King of pain, desde sempre usava drogas e costumava Rock and roll all nite, nunca se importou com o que os outros pensavam... Até que um dia um amigo o encontrou caído numa viela, atrás de um bar, naquela época ele tinha Seventeen e quase perdeu a vida por causa de uma overdose e aquela foi a primeira vez que ele chorou na frente de alguém.
Confidenciou ao seu amigo que estava cansado daquela vida miserável e sem futuro que levava, que não queria ser apenas um desconhecido na multidão, que queria fazer algo para que o mundo pudesse conhecê-lo, seu amigo apenas cantou baixinho We are the champions e ele entendeu que deveria tomar uma atitude em sua vida.
Ficou mais um tempo no emprego, suficiente para juntar dinheiro e comprar sua guitarra, a qual batizou de Princess e que no futuro... Ainda não vamos falar de seu futuro.

The end da viagem chegou, ele desceu do ônibus, olhou para a grande cidade ao seu redor, se perguntou se ali haveria Somebody to love e tirando sua Princess das costas, tocou suas curvas suaves, beijou-a de leve e começou a tocar para a multidão que passava apressada por ele, assim que Can't stop lovin' you começou a escorrer de seus dedos, uma platéia já havia se formado em volta dele.
Alguns aplaudiram no final da canção, outros atiraram trocados na sua mala aberta, convenientemente, para este fim.
Behind blue eyes ele era um rapaz em busca de um sonho que estava prestes a se realizar.
Durante vários meses ele tocou naquela praça, sempre se apresentando no mesmo horário, e sua fama como o Guitarrista das 5 horas se espalhou por todo o canto, o que atraiu pessoas interessadas em sua música, o que atraiu contatos, que o levou a conhecer mais pessoas que arranjaram um show de abertura para outra banda, que... Iniciou-se uma sucessão de eventos que o levaram até o topo.

Hoje, quando ele olha para trás, sua voz sussurra Thank you ao seu amigo que faleceu no ano seguinte ao ter salvado sua vida e como singela homenagem, ele sempre faz a abertura de cada show tocando Miss you.

Clique no nome das músicas se você quiser ouvir/ver o vídeo da mesma.

7 comentários:

Letícia R. disse...

Oiin, que texto maravilhoso *-*
Sem contar ficou super criativo o nome de músicas de rock espalhadas por todo o texto, fazendo grande sentido. Amei.

A música é mesmo algo realmente incrível. Quem diria que um cara que iria morrer de overdose chegaria ao topo um dia?!
Que perfeito ele ter comprado uma guitarra *-* Não vejo a hora de comprar a minha. [/é que vou começar a fazer aulas.]

Começo, meio e fim muito bom.
Enfim, ótimo conto,super hiper criativo. :D

renatocinema disse...

Belo trama. Eu como sou fã de cinema visualizei o filme "Encruzilhada", que fala de música, rock e paixão pela vida.

Parabéns.

Lucid Nightmare disse...

Parabéns...
Adorei... ^^

Gabriela Furtado disse...

Adoooreeei...
escrevendo cada vez melhor, Rodolpho...
um beijo enorme e perdão pela ausência.

Gessy disse...

Excelente!
Ah, muitas de minhas músicas favoritas estão aí nesse texto... Foi incrível como conseguiu "sincronizar" todas elas.

:)

Alexandre Fernandes disse...

Muito lindo Rodolpho!
Você simplesmente compôs um belo conto. Fiquei aqui viajando em algumas músicas que conheço (as outras vou ouvir) e realmente estive junto com ele.

É incrível como um conto pode nos transportar para uma realidade distinta. Foi bonito entrelaçar minha alma nessas cordas musicais.
A melodia que dá compasso ao coração.

Que conto belíssimo meu amigo!!!

Maravilhoso!

Um grande abraço!

Thiara Ribeiro disse...

De uma criatividade sem tamanho e excelente gosto musical!

;*