segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Página 27


Toda cidade tem aquele prédio sinistro onde só de passar em frente os fios de cabelo da nuca se arrepiam, como se soprados pela respiração da construção. Aqui na minha cidade esse prédio é a biblioteca, mas muito mais do que se sentir "ameaçado" ao passar pela calçada é entrar lá. Você tem a sensação de estar sendo engolido por todas aquelas prateleiras velhas e cheias de livros.
Livros, é disso que eu vim falar, esqueça sobre o lugar, sobre como é escuro, frio e arrepiante... se concentre nos livros... ou melhor dizendo, em um livro em particular.
Não sei como se formam os boatos, deve ser algo entre uma atitude intencional e despretensiosa, mas foi através de um rumor que a história daquele livro chegou aos meus ouvidos. Uma história tão focada no desejo de assustar que sequer mencionava o nome do tal livro, uma provável lenda, é claro.
O rumor afirmava a existência de um livro na biblioteca municipal, o qual você só consegue ler até a página 27. Pessoas que leram o suposto livro, afirmam que quando você chega à página citada, você começa a ver coisas e não quer mais ler o livro. E eu queria lê-lo.
Embora tudo fosse contrário à minha vontade, eu queria ter esse livro em minhas mãos e descobrir o mistério que ele esconde, mas como fazer isso se nem ao menos sei o nome do maldito livro? A resposta me veio tão simples como uma manhã de sol de verão. Eu iria trabalhar na biblioteca.

Já estou nesse emprego miserável há dois anos e nem sinal do livro que perambula em meus pesadelos, os rumores continuam enquanto eu devoro livro a livro e o deixo de lado ao alcançar a página 28.
Uma moça tímida veio devolver um livro, ela parecia assustada com alguma coisa, atirou o livro no balcão e disse:
- Esse livro é do mal, jogue-o fora, queime-o, faça o que quiser, mas não tente lê-lo - e saiu apressada.
Era o meu livro. Meu coração pulsou mais forte, como se movido por um impulso gritante de apanhar o livro e saborear cada palavra. A capa do livro era toda preta, não havia título algum, assim como não havia índice, agradecimento, nome do autor... nada.
O ar cessou, os ruídos se calaram, parecia que tudo estava atento a mim e ao livro, enquanto eu começava ler seu miolo.

... a face turva e sem olhos do homem das trevas se virou para mim com sede de sangue. Eu sentia meus ossos se congelarem de dentro para fora ao mesmo tempo em que meu sangue fervia. Não havia meios de escapar daquele beco. A maldição se agarrara em mim como câncer, corroendo meus órgãos e levando minha mente à insanidade. Não há mais como fugir, ele está em toda parte, ele está em mim.

Pisquei assustado e desgrudei os olhos do livro, puxado de volta por um som distante no fundo da biblioteca. Repousei o livro no balcão, não sabia há quanto tempo estava mergulhado naquelas páginas sombrias. Caminhei até o local de onde o som viera. Senti alguém passar por mim e já ia dar uma bronca quando percebi que não era ninguém.
O barulho tinha vindo de um livro que caíra de uma prateleira. Um vulto passou rápido entre o corredor mal-iluminado e senti um frio na espinha.
Virei-me e vi um homem de capa preta parado na minha frente... no lugar de seus olhos se viam dois buracos negros, mas eu sentia que ele me encarava. Fugi pelo outro corredor e saí da biblioteca. O livro ficou aberto no balcão, na página 27...

Desde então aquele homem me visita nos sonhos e me persegue em cada pedaço de sombra. Não sei o que ele quer de mim e temo nunca descobrir. Nunca mais vi o livro, mas acredito que para acabar com essa maldição eu preciso encontrá-lo e destruí-lo. Paguei o preço da curiosidade, só que ele foi alto demais para mim.

Fim.

E assim terminei de escrever a narrativa que o professor pediu com o tema "mistério".
O que ele não sabe é que eu me baseei em uma história real.

14 comentários:

BlackRabbit disse...

q massa...
história real???
de quem???
QUAL O LIVRO?!?!?!
*-*
vc tem histórias q dariam belos filmes...
^^
mas serio...
qro saber o nome do livro...
=D

Michelle Crístal disse...

Esses prédios cheios de fantasma, são os poetas revirando-se nos livros! Amei

thami d'oliveira disse...

muito boa, está de parabêns. :D

Nini C . disse...

Putz, tu é bom nisso. Amei. lendo o conto até lembrei da biblioteca do meu antigo colégio e da minha vontade de trabalhar lá (meu sonho é trabalhar numa biblioteca)... kkk... Mas me diz, história real? Poq eu realmente acreditei. Beijo.

Rodolpho Padovani disse...

Gente, essa história que eu escrevi é ficção, viu. Mas realmente houve um boato aqui na minha cidade de um livro que você só conseguia ler até a página 27, eu nunca soube o nome do livro e nem se isso era verdade, isso tem um tempo já e nunca mais ouvi falar nada... mas é bom imaginar, hehe, então o texto tá aí.

Letícia R. disse...

Uau, e que mistério. Ficou super enigmático, amei.

E que coragem a do personagem ao querer encontrar o livro misterioso e lê-lo, não?!
Eu ficaria curiosa, mas não me atreveria a ler jamais. Meu medo gritaria bem mais alto que minha curiosidade.


Ótimo, ótimo conto!

Nina disse...

Nossa! Até me arrepiei. É realmente baseado em uma história real? Você escreve bem pakas! Tá de parabéns!

Bjos

Até breve.

Jυℓyαnα ツ disse...

Fiquei arrepiada com sua narrativa, que prende a atenção e consegue amedrontar sobre o que estará na próxima linha.

Sempre existe aquele lugar que nos passa uma atmosfera amedrontadora...

Sempre quis trabalhar em uma biblioteca assim [ eu sei, isso é loucura mas ia ser tão legal *----*





;*

Insana disse...

Nao um predio, mais uma casa me da medo. passo longe em outra calçada, ate em outra rua se possivel. Sei lá ela tem algo que me apavora.

Bjs
Insana

Caroline Araújo disse...

Amei a história a o modo como você a narrou!
Livros, guardam tantos mistérios que ao olharmos nem imaginamos!
Beijos, e visitarei aqui mais vezes.

Thiara Ribeiro disse...

Sua imaginação é a melhor de todas!

;*

Cristiano Guerra disse...

No mínimo, macabro! ;DRO! :D

Au disse...

Já comentei no seu blog pessoal, não estava conseguindo comentar aqui.
Só para constar: MUITO BOM!

Parabéns!

Fuve disse...

UAU! Muito bom. Eu adorei. Achei no teu blog, do qual visito pela primeira vez. Com certeza ganhou maxima na redação né?! já virei fã do teu blog.